quinta-feira, 6 de março de 2014

Heisenberg e a ilusão do cientificismo

Michael Egnor 8 de dezembro de 2013 12:58 PM Permalink

"O que nós observamos não é a natureza em si, mas a natureza exposta pelo nosso método de questionamento." 

"What we observe is not nature itself but nature exposed to our method of questioning." Werner Heisenberg, Physics and Philosophy: The Revolution in Modern Science (1958)

Heisenberg identifica aqui a principal ilusão do cientificismo, a ilusão de que o método científico revela a verdade de um modo que outros métodos de conhecimento – metafísico, lógico, e intuitivo – não revelam. 

Filosoficamente quase instruído para um cientista, Heisenberg segue a Kant. Nós não temos conhecimento direto do mundo como ele é for a de nossas mentes. Nós percebemos o fenômeno – conhecimento do mundo natural filtrado por nossa mente – em vez do noumena, as coisas como elas são em si mesmas. 

O cientificismo é uma ilusão. O método científico nunca nos guiará à verdade total sobre a natureza em si mesma. O conhecimento científico é limitado inerentemente pelo nosso método de questionamento. Não fornece – e não pode fornecer conhecimento total e certo da natureza. Ele é inerentemente limitado por nossos métodos e das pressuposições ideológicas das quais elaboramos nossos métodos. 

Então, como que nós nos aproximamos da verdade sobre a natureza? Nós fazemos assim ao reconhecer nosso preconceito, e trabalhando de modo a garantir que nossos métodos de estudar a natureza não nos ceguem aos aspectos da natureza como ela é. 

Tal autocegueira é muito impressionante no ateísmo dogmático que aflige a maioria dos biólogos evolucionistas, que se recusam considerar propósito na biologia, que é repleta de propósito. Ao evitar a questão de causação em vez de um árido materialismo, cientistas ateus deixam muito da natureza não exposta ao seu método de questionamento. 

Os teístas sofrem desta cegueira análoga? Não. A maioria da versões de teísmo reconhece as causas primária e secundária. Onde a inferência para inteligência por detrás da natureza é desnecessária para descrever um processo natural, nenhum é oferecido. Onde a inteligência por detrás da natureza é manifesta, a verdade é reconhecida.

A maneira mais sábia para o estudo da natureza é manter uma mente aberta, e se livrar de pressuposições metafísicas dogmáticas que nos impedem de seguir a evidência. 


Fonte:
http://pos-darwinista.blogspot.com.br/2014/03/heisenberg-e-ilusao-do-cientificismo.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário