“Sem a educação e o ensino para todos, somos colocados numa situação horrível e de perigo mortífero de termos que levar a sério as pessoas cultas”. — G. K. Chesterton
O problema da democracia não está na alegada “massa inculta” que, normalmente, substitui a razão pela emoção. Antes, está nas elites esotéricas que pretendem esconder, em relação às “massas”, o seu putativo saber e a sua pretensa razão, no intuito de retirar, desse esoterismo putativamente sapiente, contrapartidas de poder político e de privilégios sociais.
E é por isso que as elites actuais, alegadamente “sábias”, cedem sistematicamente à emoção das massas na feitura das leis, ao mesmo tempo que tendem a negar-lhes a educação propriamente dita — ou seja, uma educação que não se reduza ao basismo da Técnica.