Vemos hoje cientistas eminentes, como Stephen Hawking, afirmar peremptoriamente que "o universo surgiu do Nada". Aparentemente, esses cientistas transportam consigo uma autoridade de direito que lhes permite afirmar uma coisa dessas.
Porém, a ciência física apenas conhece a existência de 4% do universo; 96% do universo é desconhecido, e a ciência física chama a esse universo oculto de Matéria Negra. A matéria negra é apenas um nome convencionado, porque a ciência não sabe sequer o que é.
A ciência chegou à conclusão de que tem que existir a "matéria negra" porque constatou que não existe massa suficiente nas galáxias para manter a forma espiral da sua rotação; e não existe massa suficiente nas galáxias para impedir que as estrelas saiam das suas posições e entrem numa em deriva aleatória pelo espaço afora.
E quando a ciência física tem que inventar o conceito de “matéria negra” para poder justificar a existência de 4% do universo que é verificável, por um lado, e por outro lado, para poder justificar a existência de 96% do universo que a ciência física sabe o que é — é então que eminentes cientistas vêm dizer, com toda a autoridade, que o universo surgiu do Nada.